Memórias metafóricas...

Memórias Metafóricas de Uma Mulher...

Quando pensei em criar um blog, pensei em algo interativo, dinâmico, monocromático, e simultaneamente colorido, multifacetado, diversificado, eclético, teológico, abrangente, etc. e tal, que me permitisse divagar pelas minhas ideologias, fantasias, pretenções, sensações, percepções e concretizações, um diário de bordo, que pertence a alguém que busca conhecimento nas mais distintas áreas e situações, uma mulher que além de feminina, sabe se impor e transpor seus limites e alcançar novos parâmetros na busca de uma auto estima construída com oração, amizade, companheirismo, intimidade, distância, bom senso, caráter, humor, prosa e poesia também, leitura, música de qualidade, recursos tecnológicos, livros, revistas, jornais, coisas que acrescentem a vida, conteúdo que pode ser dividido e repartido... e que vale a pena comentar!!!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Eu Tenho Felicidade Interna Bruta

Não temerei o mal, ainda que as lutas sejam imensas, exaustivas, monótonas, desconfortáveis, e insuportáveis, contudo guardarei firme minha profissão de fé, o meu depósito, a minha satizfação de servir ao Rei dos reis, o meu amor e compaixão pelos perdidos, a minha aliança com Deus, as minhas convicções, pois aquele que me chamou das trevas para o Reino da sua maravilhosa luz, não e prometeu um mundo de facilidades, bonanças, alegrias não degradáveis, dinheiro, fartura, e tudo mais que julgamos ser as coisas mais importantes do mundo, antes pelo contrário ele nos advertiu que no Mundo teríamos aflições, mas que devíamos ter bom ânimo, pois ele (Jesus) venceu o mundo, e com isso não precisamos estar plenos de realizações para sermos de fato felizes e gratos ao nosso bom Deus, pois não devemos olhar para coisas terrenas, mas sim olhar firmemente para o autor e consumador da nossa fé.
É interessante ver que em pleno século XXI, um assunto é bastante discutido na mídia, nas salas de aulas, nos corredores dos condominios, e no seio das família. A felicidade é algo que move pessoas no mundo inteiro, de todas as etnias, classes, raças, línguas e nações, todos buscam dentro de suas limitações entrar nessa corrida na contramão, pela felicidade interna bruta. Interessante que hoje isso é tema para pesquisas, discussões, debates, etc e tal. Algo que parece ser tão simples, mas que na íntegra é tão complexo e difícil de se atingir. Essa tal felicidade, tão cantada em músicas, tão contada em filmes de amor, tão sonhada pelos casais apaixonados, ou amantes de um bom estilo de vida, hoje parace cada minuto se esvair pelos dedos das mãos alheias. Todos estão ão preocupados com suas vidas particulares, afazeres diários, conquistas profissionais, intelectuais, com a aquisição de novos bens de consumo, com o acréscimo de títulos e patrimônios, que estão esquecendo-se de algo tão sublime e tão simples de entender. Essa tal felicidade, não é um estado de espírito, ou um sentimento alheio, ou um objeto à venda, ou um relato vívido por outro, é algo interno, itenso, complexo, por hora difuso, distinto, mas concreto, é sua satisfação com você mesmo, é seu preenchimento de Deus, é sua essencia mais pura, é seu climax de vida, é seu sorriso pelo saborear de um chocolate delicioso, um agradecimento salutar, um elogio conquistado, um amor cultivado, uma amizade preservada, uma família saudável, unida, uma adoração ao Criador, um momento a sós com Deus, ou com um ser amado, é também o seu momento a sós com você mesmo, o seu olhar no espelho, o seu contentamento descontente numa luta diária existente, o seu sublimar das perdas, a sua vitória alcançada, o seu pecado confessado, a sua aula de vida transliterada para outros, seu filho(a) amado, uma música cantada, um filme relembrado, uma lasanha bem preparada, uma casa comprada, um emprego desejado, mas é também uma superação, uma dificuldade, uma razão para crescer, para acescentar nas suas experiencias de vidas, àqueles mais experimentados, mais realizados deveriam estar pois a quem muito é dado, também muito é cobrado, e muito é ensinado, para que outros aprendam com nossas lições sofridas e vividas, coisas assim tão óbvias, mas tão sufocadas pelo universo individualista em questão no mundo atual, o capitalismo exarcerbado, que aponta os modelos perfeitos de vidas vitoriosas. Homens, mulheres e crianças, que são felizes porque consomem, porque viajam, porque se divertem nos parques caros, porque compram nas melhores lojas, porque comem bem, porque ostentam uma vida surreal, uma vida além das possíveis expectativas para muitos de nós... coisas assim todos os dias ocupam nossas atenções, conquistas, vitórias, aquisições, e esquecemos de agradecer verdadeiramente pelas coisas que ns sustentam, como o simples ar, que agora cada vez mais está tão impuro, pela família que temos, pelas dificuldades enfrentadas, pelas dores, pelas feridas cicatrizadas na nossa alma, que hoje até voltam à nossa memória, mas que não nos causam nenhuma dor, não sei como nos perdemos nisso tudo, não sei seb que pilares estamos centrando nossos valores, só sei que nosso produto de felicidade interna bruta, está tão próximo de nós, que nem percebemos.
E pensando sobre isso, e com base nessas pesquisas, e nos relatos de tantas pessoas, algumas até próximas, que afirmam ser pessoas infelizes, e por toda a notoriedade, desse produto tã extinto e confuso para algumas pessoas, como essa tal felicidade, que hoje mais é identificada como sentimento, cheguei à feliz conclusão, que apesar de ter vivenciado algumas, senão muitas situações complicadas, desgastantes, intrigantes, muitíssimo dolorosas, absurdas até, eu sempre fui muito feliz, porque eu sempre entendí muito claramente que era uma honra e não coisa tão distante, ser feliz com coisas simples, apesar de ficar triste, desde muio criança experimentei, sentir dor, chorar, questionar, perder, lutar para alcançar ou não, ser julgada, julgar também, mas vencer dentro de si mesma, em muitas situações que outros não suportariam, e quem conhece minha história sabe que não suportariam mesmo, mas muito visivelmente sempre tive minha razão maior, minha felicidade interna bruta, meu contentamento dentro de mim, minha superação de limites, meu alvo a alcançar, de construir meu universo de valores centrados em Deus, e exercer fé de tal forma que não precisava de evidências para identificar o agir do Pai Celestial, que sempre foi meu maior amigo, meu conselheiro, meu castelo forte, minha porção secreta de felicidade, minha satizfação. E confesso que não entendia muito como alguém cristão, principalmente, se sentia infeliz.
Hoje acredito depois de ler mais sobre isso, e fazer uma análise introspectiva na minha história e no meu lugar secreto, que é meu coração, conseguí identificar alguns suportes teóricos e recursos que teve desde a minha infância, como a Bíblia Sagrada, como meu primeiro livro de histórias, meus únicos heróis de fato, muito amor dos meus pais e irmãos, uma família que sabia rir, discutir, brigar, chorar, apanhar também, tinha disciplina, na verdade ainda tem, tinha muitos cultos domésticos, viagens inteiras cantando louvores em família, hoje é engraçado lembrar disso, piqueniques em família, praia, acampamentos, orações nas horas de refeições... mas também tinha problemas com drogas, com alcoolismo, com intolerâcia, com violência, com calúnias, difamações, escassez, muitas contas a pagar, ... iiihhhh tinha muitas dificuldades, mas sempre teve Jesus conosco, na nossa casa, na nossa vida, na Igreja (sempre foi meu lugar preferido, isso aprendí com meu pai!), muitas brincadeiras, poucos amigos na verdade, alguns irmãos, mas sem sombra de dúvidas, minhas lngas e maravilhosas memórias, não tenho problema ao olhar para trás, ver tudo oque viví e experimentei, tudo cooperou com a obra que Deus realizava em mim.
Por isso, posso ousar dizer como o apóstolo Paulo, Tudo posso naquele que me fortalece! E de fato posso, por que Ele me fortalece sempre e imutavelmente! In Jesus we trust!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Somos cópias imperfeitas de um Único modelo perfeito, Cristo!

"Façamos o homem à nossa imagem, e conforme a nossa semelhança".                                 (Gênesis 1.26).


Apesar de termos herdados as características dos atributos comunicáveis de Deus, como raciocínio, bondade, amor, misericórdia, santidade, paz, vontade, liberdade, beleza, conhecimento, sabedoria, justiça e zelo, temos uma natureza humana decaída herdada desde o Édem e, por isso somos sempre tendenciosos ao pecado. Parece complicado entender, como alguém que é uma cópia de um modelo perfeito como Cristo, pode ser tão imperfeito e cometer as vezes repetidamente os mesmo erros, já tão conhecidos nossos. De fato, parece contraditório  sem propósito, contudo Deus na sua perfeita e soberana vontade nos criou dotados de liberdade, para discernirmos e escolhermos nossos próprios caminhos, apesar de perscrutados por Ele, como Pai zeloso que é, e que não afasta de nós Sua mão poderosa.
Nosso Deus tem cuidado de nós, até mesmo nessas falhas constantes, com o objetivo de nos tornar ainda mais parecidos com Cristo, em santidade e amor, para que cheguemos a estatura perfeita da fé que em nós foi colocado no dia da nossa salvação, e para que possamos crescer como homens e mulheres que decidiram obedecer e cumprir a vontade de Deus.



Mas é de suma importância reconhecermos nossos erros, falhas e limitações como imitadores de Cristo, para que não nos tornemos arrogantes nem pretenciosos, nem crentes s.s. (super santos), como muitos se denominam por aí, sabendo que aquele que pensa estar em pé tenha cuidado para que não caia, como aconselhou o apóstolo Paulo, e ainda se alguém vier a cair, que sejamos santos o suficiente para ajudarmos nosso irmão a levantar-se, para que não aconteça com ele o que houve na parábola do bom samaritano (Leia em Lucas 10: 25-37), em que o sacerdote vendo um homem caído passou de largo, e também o levita fingiu que não o viu no chão, aí vendo ele um bom samaritano, ou seja alguém que não era "crente" aparentemente, vendo-o caído a chão e ferido, se apiedou dele, e foi ajudá-lo, curando suas feridas, colocando-o sobre seu próprio meio de transporte, levou-o para uma hospedaria, tratou dele e ainda gratificou o dono da hospedaria por continuar cuidando daquele homem, até ele ficar sarado.
Não sei você, mas falo por mim, algumas vezes me pego sendo tendenciosa a ignorar algumas pessoas que encontro pelo caminho, aquelas que estão feridas, desorientadas, acidentadas, carentes, solitárias, os que estão com problemas, e em alguns momentos tenho vontade de passar de largo também, e fingir que não a ví, mas agradeço a Deus por que na maioria das vezes me recordo dessa passagem e nesse ínterim, retorno ao caminho para tentar resgatá-la, hoje faço isso com maior clareza e amor, porque quando estive doente, presa em minhas cadeias do passado, caída pelo chão, alguém me estendeu a mão, me ajudou a levantar, ou me colocou nos braços, e me levou para o hospital, onde fui tratada e sarada, e esses alguéns foram pessoas reais, humanas, não foram anjos não, pessoas até não cristãs, que não professam nenhuma religião, mas que me amaram mais do que os meus irmãos, e outros que também eram irmãos mas que como eu também tinham suas feridas, mas se esforçaram para me ajudar em momentos insuportáveis até. Agradeço a Deus por essas vidas que me pastorearam e me amaram, e cuidaram de mim e da minha casa, e que não temeram perder seu precioso tempo, reputação e até mesmo dinheiro, cuidando de pessoas que são falhas e que caem, e se levantam, com a ajuda também desses amados irmãos. Por isso, querido e amado leitor que ao encontrarmos pelo chão os debéis na fé, os que tropeçam e caem pelo caminho, porque muitas são as armadilhas do inimigo de nossas almas, possamos exercer compaixão e amor, e praticar o que tanto pregamos para que os outros façam, que a começar em mim, esse amor seja evidenciado!

domingo, 22 de agosto de 2010

Veja seu tipo físico e tente se vestir proporcionalmente ao que pode lhe favorecer

Tipo Físico Ampulheta


Tipo Físico Retângulo


Tipo Físico Triângulo


Tipo Físico Triângulo Invertido


Veja em qual tipo de corpo você se encontra e tente vestir-se moderadamente, aproveitando bem as dicas dos especialistas dessa àrea!!!!

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

AlgUéM eM coNstrUçãO!!! "A Bíblia, toda a Bíblia e nada mais do que a Bíblia, é a religião da igreja de Cristo." (Charles H. Spurgeon)

Este mês nossas Devocionais estão sendo com base no livro de João, e é interessante registrar que mesmo após ler este Evangelho diversas outras vezes, a cada noite, versículo à versículo, Deus tem nos revelado coisas preciosíssimas ao nosso respeito, e ao propósito dEle para nossas vidas. Nesse ano de 2010, confesso, que tenho sido surpreendida por diversas aflições, coisas inimagináveis aconteceram, e é estranho perceber, que aconselhar pessoas com seus problemas, e encorajá-las a tomarem certas atitudes, é totalmente desproporcional ao nos depararmos nas mesmas situações, já tão aconselhadas e trabalhadas na vida de outros, mas agora sendo verdades experimentalmente nossas, que nos remetem a algumas situações inacabadas do nosso passado, ainda que distante, mas não tratado devidamente, e aí percebemos que aquelas feridas que imaginávamos tão cicatrizadas, na íntegra ainda supuram, e exalam um odor bastante desagradável. E precisamos nos despir de nossos pressupostos humanos e denominacionais para sermos tratados pelo Pastor Supremo.

No capítulo 2, do Livro de João, percebemos algumas evidencias de como se pronunciava e atuava o nosso amado Mestre, e Pastor das nossas almas, nosso Conselheiro fiel, Advogado junto ao Pai, Sacerdote excelente e sobretudo Amigo mais íntimo. 
Todo o texto, é maravilhoso, se iniciando pelo milagre da transformação da água em vinho no casamento em Caná, quando Jesus inicia seu ministério terreno, revelando seu poder àquelas pessoas, naquela cerimonia pública, mas antes de tudo aquilo ocorrer, há algo que acontece nos bastidores, e que apenas os mais íntimos ficam sabendo. O vinho havia acabado, e como todos já sabem, ele simbolizava a alegria, a celebração, a cor vibrante, o sabor, o aroma, e também porque não dizer a honra dos noivos que ali se entregavam mutuamente diante do sacerdote e do povo.
O fato do vinho haver acabado, não revela em si, que os noivos foram desleixados, estando com um estoque inferior aos convidados, ou que foram omissos, ou que foram irresponsáveis, pois como sabemos pela cultura daquele povo uma festa de casamento durava dias, e o povo servia-se à vontade, e pode se imaginar que algo fugiu ao controle naquela circunstancia, eu diria, tão avassaladora e arrebatadora dos sentidos, que é todo casamento, pois quem já casou sabe bem do que estou falando, por mais bem planejado que seja, algo sempre escapa das nossas mãos, e aquele era um fato real na vida daqueles noivos, o vinho acabara, e agora como fazer, era a hora do mestre-sala experimentar a qualidade do vinho oferecido?! Imagino a correria e agonia.
Mas graças a Deus, Jesus era convidado naquele momento tão especial para aqueles dois especialmente, e é óbvio que Ele não iria ficar indiferente àquele problema, e logo transformou à àgua em vinho. 
Note, então o zelo de Jesus nisso, a àgua que é um líquido inodor (sem cheiro), insípido (sem sabor) e incolor (sem cor), foi transformado em um excelente vinho, que é umas das bebidas mais fortes, concentradas, encorpadas, aromatizadas, coloridas, é algo estupendo não?!


Na minha leitura ainda por esse capítulo, algo mais me chama atenção. A entrada de Jesus no Templo, sua atitude eufórica e intrigante, e certamente tão polemica ainda hoje nos seminários e nas discussões teológicas. Ele ao deparar-se com os cambistas, mercadores e agentes comerciários de plantão naquele lugar, ele não esperou um minuto sequer para averiguar se poderia ter aquela reação, se era prudente, se seria bem interpretado, se seria aceita sua contestação, ele literalmente expulsou todos do templo, derramou o dinheiro dos cambistas, virou as mesas, isso mesmo, que você leu, ele virou as mesas, e certamente bradou em alto e bom som, não façais da Casa de Meu Pai uma casa de negócios! 
E os judeus, em toda a sua arrogância pediu-lhes um sinal para tal atitude dele, e aí Jesus fala sua célebre frase, "Em três dias resconstruirei este santuário". 
Imagino o zum zum zum dos carolas de plantão,  fariseus, os homens distintos que trabalhavam naquele templo, a ira, a indignação, o falatório, o buxixo que passava de boca à boca, sobre o descontrole emocional desse tal Jesus, que diz ser o Filho de Deus.
Hoje, é claro, não vemos nada disso, nesse nosso tempo, o comércio não tem cadeira cativa nas igrejas, em nenhuma! Nem tampouco o buxixo, nem o falatório, nem os pecados de orgias, nem adultérios, nem fornicações, nem furtos, nem nada daquilo que Jesus encontrou naquele templo, tem nos nossos templos hoje, não vendemos também animais para sacrificios, animais sujos, imagina!, nem nossos sacerdotes, ministros de Deus, permitem isso acontecer, nós somos a geração de Adoradores Exravagantes, o povo de Deus, os Embaixadores que têm até título de Doutores em Divindade.
O que acontece nos bastidores hoje não ferem, nem machucam, nem exalam odor podre, nem matam, nem castram, nem afastam Deus dos homens, e homens de Deus.
Acredito que hoje, Jesus não precisa estar mais nem entre nós, como estava naqueles dias, não apenas porque Ele tabernaculou em nós, mas porque hoje somos respaudados pelo aval do Pastor Tal, do Bispo Tal, Apóstolo Tal, do Cantor Tal, do Presbítero Tal e também dos titulos que ostentamos em nossas conquistas eclesiasticas, isso desde o zelador ao Mais Alto Grau da Igreja Protestante, são pucos, eu diria, raríssimos àqueles que não subjulgam seus nomes aos Títulos que receberam.
Exprimente chamar o Bam... bam... bam... sem o título dele, talvez você até seja disciplinado por desacato ou desonra, ou insubmissão, ou pecado de rebelião, se apenas chamá-lo pelo seu nome próprio.

Certa vez, no seminário ouví um colega de outra turma falar, que ele não se preocupava com seu futuro na sua denominação, porque seu pai tinha influencia nela, e até estava oferecendo seus préstimos a outro colega de curso, para que quando terminasse o curso, caso as coisas não acontecessem, o procurasse que ele dava um jeitinho nisso.
Amados, isso é política e das sujas! Sob hipótese alguma é sacerdócio.
Não sei o que esses homens e mulheres falam e entendem da tal famosa e enfatidica para alguns leitores Reforma, que Lutero tanto lutou e que até agora não aconteceu de fato, pois em nada superamos nossas limitações como Igreja instituição, somos tão corruptas, e políticas quanto a da Santa Sé, a Católica Universal de Roma. Também temos nossos Papas, Cardeais, Bispos, Pastores, Cantores, Obreiros, etc. e etc. que da mesma forma, mais lutam pelos interesses de sua paróquia (igreja local ou denominação) do que pelo Reino de Deus e a propagação do Evangelho em si.
Em nada ameaçamos os nossos inimigos de Reino, pois somos desunidos entre nós mesmos e não repartimos nada, e se algum maluco invade o território alheio, e fala dos podres de tal igreja ou seus líderes, buscando conserto para tal situação, logo é afastado e se dissemina entre o povo as mais absurdas estórias, logo começa a santa inquisição dos crentes.
No final desta leitura, me deparei com o mais incrível versículo, naquela noite, depois de todas essas horriveis constatações, infelizmente experimentadas por onde tenho passado, pregando, cantando, ou simplesmemte visitando, no meio igrejeiro.
Nos versículos 24 e 25, o texto diz, "mas o próprio Jesus não se confiava a eles, porque os conhecia a todos. E não precisava de que alguém lhe desse testemunho a respeito do homem, porque ele mesmo sabia o que era a natureza humana".

Após ler tudo isso, e relembrar algumas situações que certamente abalaria a fé de alguns, o Pai das Luzes, detentor de todo conhecimento, me falou mansamente, que Ele nos conhece individualmente, que somos sua noiva amada, que Ele não precisa do testemunho de ninguém a nosso respeito, porque Ele é o que sonda o nosso coração e sabe de toda a nossa história, e como Igreja invisível, que claro se reune em templos falíveis, liderados alguns por homens sérios, santos, comprometidos que lutam pela visão cristocentrica das Escrituras, tentando aliar a teoria e prática em meio a todo esse corporativismo da igreja capitalista de hoje, infelizmente todas essas coisas ainda acontecem para provar nossa fé e fazer-nos crescer em graça e em verdade, para que o nome do Pai seja glorificado nas nossas vidas, principalmente, ainda que difamados, perseguidos, maltratados, rejeitados pelo o amor e zelo do Verdadeiro Evangelho, que não se vende nem se deixa negociar, mantendo limpa a nossa consciencia e tomando parte na ceia do Senhor até o dia final a quem iremos prestar contas de todas as nossas atitudes, certos de que estamos em construção, e Ele mesmo é o que apaga nossas transgressões e sara todas as nossas feridas.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Mulheres se vestem melhor em período de ovulação

Ação inconsciente é adotada para impressionar homens e afastar mulheres rivais!


 


Agora, cuidado com a numeração, ela fica maior nesse período!!!


Em período de ovulação, as mulheres se vestem melhor e compram roupas e acessórios para atrair um parceiro. Mas também para desencorajar as rivais, segundo estudo de marketing realizado por uma universidade americana e publicado segunda-feira (15/8).
Inconscientemente, as mulheres em período de ovulação vestem-se "para impressionar" não apenas os homens, mas as que poderiam ser suas rivais, afirma o estudo da escola de administração da Universidade de Minnesota (norte dos Estados Unidos).
O estudo, divulgado no "Journal of Consumer Research", volta-se para estabelecer as ligações entre a compulsão de compra e fatores hormonais.
"O desejo que têm as mulheres, no momento importante de sua fecundidade, de escolher inconscientemente artigos que destacam sua aparência é movido pelo desejo de serem mais sedutoras que as rivais", afirma Kristina Durante, autora da pesquisa que ouviu 269 mulheres. "Se você é mais desejável que a concorrência, tem mais chances", resume ela.
"Descobrimos que, quando estão em período de ovulação, as mulheres escolhem artigos de moda mais 'sexy', tendo como ponto de referência outras mulheres sedutoras de seu entorno", explica Kristina.
Durante o estudo, fotografias de mulheres sedutoras moradoras nos arredores foram mostradas a mulheres em período de ovulação. Elas deveriam, em seguida, escolher roupas e acessórios. "Descobrimos que as mulheres em período de ovulação compravam artigos mais sexy quando tinham na cabeça a imagem de mulheres sedutoras da vizinhança", acrescentou a pesquisadora.
"Se você mora em Nova York, outra mulher que mora em Los Angeles não será percebida como concorrente". Esta rivalidade com mulheres sedutoras da vizinhança é inconsciente. "Durante cinco a seis dias por mês, as mulheres que ovulam, são mais de um bilhão de consumidoras", precisa o estudo de marketing.
Este desejo de compra de artigos e serviços que destaquem a aparência, levado pelo ciclo ovariano, aplica-se não apenas a roupas e calçados, mas também a produtos de beleza, suplementos vitamínicos, artigos de fitness e à cirurgia estética.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Deus age no deserto... Não esqueça, ele tem o domínio nesse lugar....

Nao há fé sem deserto,
nem deserto sem tribulaçao.
As marcas no deserto sao de fato os sinais de uma vida que peregrinou sob a confiança do Senhor!
O deserto machuca, mas enrijece.
Queima a pele, mas tempera o caráter.
No deserto nao há supermercados, nem despensas, mas há a dispensaçao da graça de Deus suprindo as necessidades de cada dia...
Sempre que Deus pretender usar alguém, Ele o conduz ao deserto para exercitá-lo nos limites da dependencia.
Diante dos percalços da vida, o Senhor nos promete SUPERAÇAO!
ELE nao deixará que NADA atrapalhe a nossa trajetória!
Nada e ninguém podem nos impedir de alcançarmos aquilo que é, por direito, NOSSO!
Deus, lá no céu diz: Ninguém vai poder parar voce!

sábado, 14 de agosto de 2010

Uma aliança, elo símbolo de amor

Reconhecidas mundialmente como símbolo de fidelidade entre um casal, as alianças, adotadas pela igreja cristã no século IX, seguem com todo fôlego no imaginário e no desejo dos amantes. A tradicional joia mais-que-especial que representa o elo de amor e compromisso ganhou mil e uma versões apaixonantes - e bem diferentes dos modelos de ferro feitos nos primórdios da tradição.

Curiosidades


São várias as versões sobre a origem e o uso das alianças como símbolo de compromisso. Uns dizem que o anel surgiu entre os gregos e os romanos, outros acreditam que a tradição veio dos costumes hindus. Segundo os egípcios, por exemplo, existe no dedo (anelar) uma veia que está ligada diretamente ao coração - assim, a aliança ali colocada estaria ligada ao símbolo do amor.

Já na Inglaterra medieval, o ritual acontecia da seguinte forma: a noiva colocava a aliança no dedo polegar, daí o noivo ia mudando o anel de dedo e recitando "Em nome do pai, do Filho e do Espírito Santo". 

Deus se encontra com Saulo



Deus resolve aparecer no caminho...
A história de Saulo começa a mudar a partir do capítulo 9 do Livro de Atos. Já estava na hora de Saulo mudar de time!
- Saulo continuava obstinado em seus planos!
Apesar de estar jogando do lado errado, Saulo tinha uma grande qualidade, ele era perseverante e comprometido com seus propósitos. Por que será que Deus resolveu aparecer justamente em seu caminho?
- De repente uma luz brilhou em seu caminho!
Jesus entra em cena trazendo luz onde só havia trevas.
A luz traz revelação sobre quem somos e caímos na real da nossa verdadeira condição!
- A voz da verdade rompe com o silêncio e se revela a Saulo.
A partir deste momento Saulo descobre quem é Jesus e nunca mais deixa de conversar ou dialogar com seu mestre.
- Deus escolheu se revelar a Saulo em meio a outros homens.
Deus nos enxerga no meio da multidão e se revela a nós. Os outros ouviram a voz, mas não viram ninguém...
- A primeira lição de dependência!
Abriu os olhos e não podia ver nada. Deus começa a trabalhar sua auto-suficiência.
- Deus começa a mover os seus filhos na terra. Ananias vai ao encontro de Saulo.
- Deus escolheu Saulo para uma missão.
Abriu os seus olhos
Derramou o seu Espírito

CAMINHANDO COM DEUS




HEBREUS 6:4-10.

TEXTO: HEBREUS 6:4-10.

“É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro, e caíram, sim é impossível outra vez renová-los para arrependimento, visto que, de novo, estão crucificando para si mesmo o Filho de Deus e expondo-o a ignomínia. Porque a terra que absorve a chuva que frequentemente cai sobre ela e produz erva útil para aqueles por quem é também cultivada recebe bênção da parte de Deus; mas, se produz espinhos e abrolhos, é rejeitada e perto está da maldição; e o seu fim é ser queimada. Quanto a vós outros, todavia, ó amados, estamos persuadidos das coisas que são melhores e pertencemos à salvação, ainda que falamos desta maneira. Porque Deus não é injusto para ficar esquecido do vosso trabalho e do amor que evidenciastes para com o seu nome, pois servistes e ainda servis aos santos”.

Elucidação do texto:

Versículo 4 - Uma vez foram iluminados. Ou seja o conhecimento de Deus já revelado através dos Evangelhos e confirmados no batismo de forma pública, como antigamente era a conversão e o batismo designados com essa expressão “iluminação”. Essa expressão grega “uma vez”, é bastante pertinente em Hebreus, pois se conecta ao sacrifício de Cristo, conforme em Hebreus 10:2,10. Foram iluminados é uma provável alusão a fé.

Provaram o dom celestial. Alguns vêem nesta passagem a confirmação da atitude em participarem da Ceia do Senhor. E se ligada à frase ao termo iluminados, dá uma descrição mais conclusa de uma aparente conversão.

Participantes do Espírito Santo. Essas pessoas tiveram sem dúvida alguma experiência espiritual no tocante aos dons espirituais, do Espírito Santo, porém a frase não se refere à conversão apropriadamente.

Aplicação Pessoal: O autor inicia esse versículo afirmando categoricamente e indubitavelmente ser impossível que aqueles que foram iluminados, ou seja, convertidos pelo Espírito Santo de Deus e selados por ele. Pois se tornaram participantes com ele de forma mística do corpo de Cristo.

Versículo 5 – Os poderes do mundo vindouro. Certamente se refere aos sinais e maravilhas que acompanharam as primeiras pregações do Evangelho.

Aplicação Pessoal: Ou seja, aqueles que conheceram a palavra de Deus e foram iluminados por ela e transformados pelo Espírito Santo de Deus, e conheceram o poder e os milagres de Cristo e do Evangelho.

Versículo 6 - Renová-los para arrependimento. Refere-se à apostasia. E existe um tipo que é irreversível. A salvação em Cristo é irreversível, pessoal, e acontece uma única vez, selando o indivíduo com o Espírito Santo da Promessa, ou seja, definitiva, de uma vez por todas e para sempre. Assim como, a decisão de rejeitar a chamada interna, tomada em certo nível de conhecimento, não pode ser revogada., de acordo com I João 2.19, qualquer um que toma tal atitude demonstra que de fato nunca fora selado com o Espírito Santo de Deus, nunca pertenceu verdadeiramente a família cristã, tendo em vista que alguém que é enxertado a videira verdadeira, jamais conseguiria ser excluído dela, embora tivesse um aparente comprometimento com Cristo.
Judas Iscariotes é o exemplo mais claro de alguém que participou exteriormente do corpo de Cristo, e do Reino de Deus, porém não foi incluído nele. Essa advertência não permite especulação sobre o estado eterno de ninguém, visto que apenas Ele conhece os Seus eleitos, mas nos exorta a santidade e a permanecermos firmes no Senhor.

De novo, estão crucificando... o Filho de Deus. Pela opção de renunciarem a fé, eles negam o sacrifício de Cristo e a obra redentiva dEle, afirmando na prática que a cruz não é um sacrifício santo capaz de libertar ao homem dos seus pecados e conduzi-lo a vida eterna, visto que tornam-se apóstatas da fé, e já se afastaram ao ponto de que a cruz não os libertou de seus pecados mas os condenou como cúmplices na morte de Cristo (Atos 18:5-6).
Há uma analogia na expressão “uma vez por todas” do sacrifício de Cristo pelo pecado e participação simbólica do crente naquela crucificação através do batismo. A morte sacrificial de Cristo não pode ser repetida. Da mesma forma, a participação do crente na morte de Cristo, selada pelo batismo (Rm 6.3-4; Cl 2.12), não pode ser retirada e depois repetida.

Expondo-o a ignomínia. A apostasia apresentada no cap. 6 não é uma questão de dúvidas pessoais e internas. Antes pelo contrário, é proposital, pública e pessoal rejeição da fé que uma vez foi professada, produzindo efeitos nocivos e escândalo não apenas para o apóstata, mas para muitos.

Aplicação: Acredito que se referem aqueles que caíram na fé externa e terrena, aparentemente verdadeira, tornando impossível renová-los, pois escarnecem da verdade de Deus e transformam-na em mentira, tendo em vista que professam tê-la provado e agora rejeitam publicamente. Por isso estão crucificando novamente a Cristo, pois tornam o sacrifício vicário ineficaz, e inoperante para suas próprias vidas.

Versículo 7-8 – A terra...e a chuva. De acordo com as figuras proféticas do V.T., a terra é o povo de Deus (Is 5.1-7), e a chuva que cai sobre ela é a Palavra (Is 55.10-11), ou o Espírito de Deus (Is 44.3-4). O campo infrutífero é destruído.

Aplicação: Aqui o autor refere-se ao povo de Deus e a sua Palavra, O povo recebe a Palavra que frequentemente Deus revela, contudo só torna-se frutífera para aqueles que recebem e regam essa semente, tornando-a bênção para suas vidas, porém para àqueles que a rejeitam torna-se maldição, castigo e tormento eterno no inferno.

Versículo 9-10 – Servistes e ainda servis. Aqueles que são ridicularizados ou presos por causa da fé. Esse é um tipo de palavra de encorajamento e apoio aos que sofrem por amor ao Evangelho, pela fidelidade a Palavra de Deus, que não se esquece dos Seus e à seu tempo lhes honrará na glória eterna de Cristo Jesus. Ação contínua, permanente e eficaz dos que obedecem ao Chamado Interno de Deus para a Salvação e pregação do Evangelho.




Aplicação: É reconfortante saber que Deus vê os nossos dias aqui, e sabe dos nossos caminhos, e por isso vale a pena servi-lo mesmo que em face ao descrédito de alguns, perseguições, injúrias, difamações, aguardemos pois em Cristo a vitória que vem do alto

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

A importância dos amigos

 
“O homem que tem muitos amigos pode congratular-se, mas há amigo mais chegado que um irmão”.
                                                                                                                           Provérbios 18: 24.
O Poeta Samuel Taylor certa vez descreveu que “a amizade é como uma árvore protetora”. Quão bela descrição desse relacionamento tão especial! Ao ler essas palavras penso em meus amigos como enormes árvores frondosas, que estendem seus ramos sobre mim, oferecendo sombra, cuja presença é uma proteção contra as rajadas do vento de inverno e solidão. Uma grande árvore protetora isso é uma amigo verdadeiro! Assim como o poeta, o sábio Salomão também registrou a importância do amigo na sinceridade da intimidade diária.
           A AMIZADE é de fato uma árvore protetora. Na amizade encontramos as mãos de Deus ministrando, animando, dando e apoiando.
           Você pode se admirar, ao saber, que as palavras amigos, amigavelmente e amizade aparecem mais de 100 vezes nas Escrituras. DEUS DIZ MUITO A RESPEITO DOS AMIGOS!
           Todos nós somos seres relacionais e por isso carecemos de construir relacionamentos frutíferos e sadios ao longo da nossa história, precisamos ter ao nosso redor pessoas nas quais podemos confiar e partilhar nossos sonhos, projetos, segredos, problemas e vivencias diárias.
            Existem, portanto algumas verdades sobre os amigos irmãos, nas quais queremos nos deter e avaliar o grau de intimidade nesses relacionamentos que estamos construindo na vida cristã.



Existem três verdades sobre os amigos:

I)                  OS AMIGOS SÃO ESSENCIAIS.

AMIZADE = Sentimento fiel de afeição, estima ou ternura entre pessoas que em geral não são parentes nem amantes, apreço.

AMIGO = Que é ligado a outrem por laço de amizade, amigável, companheiro, protetor.

Não existe substituto para um amigo verdadeiro, alguém que se importe com o outro, que ouça, console, sinta, conforte, confronte e repreenda.

Alguém já disse, “que os amigos são os irmãos que escolhemos”.

Os amigos não são opcionais, mas sim essenciais, imprescindíveis, insubstituíveis, é um relacionamento de amor e conquista sem barganha.



II)               OS AMIGOS NÃO SÃO AUTOMÁTICOS, PRECISAM SER CULTIVADOS.

É necessário cultivar um relacionamento de amizade, numa busca constante pela confiança mútua, e pela descoberta diária das qualidades e defeitos.
É preciso reavivar constantemente esse cultivo, como acontece com uma árvore que plantamos que precisa de cuidados específicos, como ser regada, podada, apreciada... Até que dê frutos.



III)            OS AMIGOS NÃO SÃO NEUTROS NEM OMISSOS, ELES CAUSAM IMPACTO EM NOSSAS VIDAS.



Citação: I Corintios 15:33.

“Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes”.


Nossos amigos causam influência em nossa vida, eles ocupam lugar de destaque e por isso a opinião deles tem importância nas nossas vidas.
Como diz a Palavra devemos nos policiar quanto as nossas amizades, pois as más conversas, infrutíferas geram problemas e as vezes separam os maiores amigos, alem de corromper os bons costumes.

CORROMPER = deteriorar, decompor, alterar, perverter, induzir a realizar ato contrário a ética, apodrecer.

Devemos escolher nossos amigos com cuidado e bom senso, pois são eles que estarão conosco na nossa intimidade, na nossa família, nos nossos relacionamentos, no nosso círculo íntimo.

Os amigos não devem ser omisso nem neutros, pois os que assim se comportam, não querem se comprometer numa amizade genuína e frutífera.

Os amigos sinceros emitem opinião própria, tem personalidade definida e deixam marcas nas nossas vidas. Marcas de amor e não de dor. Cicatrizes que trazem gozo, porque são frutos de aprendizado mútuo. Amizade que cresce que se desenvolve.

Se você quer ser sábio, escolha amigos que lhe acrescentem, que lhe permitam crescer em amor e integridade, amigos que lhe permitam ser você mesmo sem titubear, que lhe permitam errar e acertar.




HÁ QUATRO NÍVEIS DE AMIGOS:

A)   Amigos conhecidos.

São àquelas pessoas com quem temos contatos irregulares e interação superficial. Deslizamos apenas pela superfície com os conhecidos.
- Como Vai? – E respondo: Bem! Muito Bem!
(Na verdade, não estou bem, mas não posso dizer-lhe isso, é apenas um conhecido!).



B)    Amigos casuais.

São àqueles com quem temos mais contatos, interesses comuns e com quem podemos ser mais específicos nas conversas. De vez em quando até chegamos a buscar a opinião de um amigo casual, embora continua havendo uma certa distância entre nós.

C)    Amigos chegados.

São àqueles com quem compartilhamos objetivos de vida semelhantes e com quem discutimos as questões difíceis. Fazemos planos juntos, exercícios, nos socializamos e algumas vezes até saímos juntos de férias.



D)   Amigos íntimos.

São àqueles poucos com quem temos contato regular e um profundo compromisso. Não apenas somos abertos e vulneráveis com essas pessoas, como aguardamos ansiosamente o seu conselho. Os amigos íntimos se sentem livres para criticar e corrigir, assim como para abraçar e encorajar, porque a confiança e a compreensão foram estabelecidas entre eles.



CONCLUSÃO:

Todos esses níveis de amizades são importantes, mas o mais importante é de fato os amigos íntimos. Os que não tem amigos íntimos são seres solitários. Todos precisamos pelo menos de uma pessoa com quem possamos ser francos e sinceros, além de carecermos de alguém que nos ofereça proteção e apoio, encorajamento e até duras verdades e confronto em momentos decisivos. Amigos são árvores de proteção e refúgio. JESUS O NOSSO EXEMPLO MAIOR!!!



HÁ 4 CARACTERISTICAS DE UM AMIGO ÍNTIMO:SEJA UM!!!!

·        ELE ESTÁ DISPOSTO A SACRIFICAR-SE;
·        ELE É UM DEFENSOR LEAL PERANTE OS OUTROS;
·        ELE DÁ LIBERDADE PARA VOCÊ SER QUEM VOCÊ É;
·        ELE É UMA FONTE DE ENCORAJAMENTO.

 Ao analisar, meu circulo de amizades, percebí que tenho vários tipos de amigos, contudo cada um deles em espécial, ocupa um lugar decisivo num momento da minha história de vida, alguns permanecem nesse relacionamento contrustivista, outros abandonaram a caminhada e não irrigaram nossa rosa íntima, do nosso mundo maravilhoso de sorrisos, lágrimas, segredos, aventuras, conquistas, descobertas, olhares, e não partilharam mais suas experiências, optaram apenas pela lembrança de um tempo que ficou no passado da memória do coração!
A todos os meus amigos, presentes e ausentes dedico essa mensagem de gratidão  participação na minha vida, com momentos únicos, inesquecíveis, insubstituíveis, e meu amor e dedicação, e saibam todos que no meu coração a porta continua entre-aberta, aos que querem retornar e ficar. Um beijo no coração!




quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Tu és meu bem maior!!!



De que me valeria ganhar o mundo inteiro e perder a alma?
E perder a única razão de ser?

Desde que O encontrei, tudo mais eu desprezei, só quero ter a Cristo e ser achada N'ele,
Só quero conhecê-lo e o Seu poder.

Senhor,
tu és a minha herança, Tua presença, o meu bem maior, nada se compara,
nada é mais importante, Tua presença é melhor que ouro e bens delícias
eternas achei em tua presença.

Nenhuma conquista, nem conhecimento, nenhuma alegria é maior que Tua presença!

Meu eu em Você - Buddypoke

Integridade e oração


TEXTO: MATEUS 6:5-8.

INTRODUÇÃO: Vivemos dias superficiais e por isso devemos buscar agir com transparência e verdade nas mais diversas situações. As coisas simples do dia a dia revelam o caráter da humanidade individualista e materialista, exibicionista por natureza e competitiva por opção do mundo capitalista, cada um na sua busca de superação tenta expor de forma marcante seus pontos fortes, suas supostas qualidades, enfim é a lei da sobrevivência no mundo pós-moderno. Já há algum tempo a aparência fala alto, e a eloqüência se destaca. Na cultura grega romana, o exibicionismo também ocupava lugar de destaque, a retórica, os costumes, os títulos, as leis e seus cumprimentos revelavam as obras e a conduta, como argumento de fidelidade a Deus, em contrapartida, também revelava o caráter dos homens que se julgavam superiores aos demais.

ELUCIDAÇÃO: O texto revela em si a simplicidade do Evangelho de Cristo, a naturalidade com que ele expõe os mais complexos problemas existenciais do homem, naquela cultura tão cheia de formas e normas, ele viu e destacou a sistemática da oração genuína, pura e cristalina. Deixou-nos o modelo da oração singular e individual, nos ensinou que a hipocrisia não faz parte do caráter cristão. No versículo 5, ele inicia seu sermão nos ensinando a fugir do padrão hipócrita da época, quando os fariseus, oravam em pé nas sinagogas e nas praças, atraindo para si as atenções, afirmando que os tais já receberam a tal recompensa que procuravam o reconhecimento público. No versículo seguinte e nos demais ele nos deixa um belíssimo ensinamento. De que não há hora, lugar, platéia, discurso, repetições, apelações, rezas, títulos que substituam a integridade da oração verdadeira, que é fruto de uma adoração genuína e individual, reconhecendo Deus, como nosso Pai em seus atributos incomunicáveis de onipotência, onipresença e onisciência.

PROPOSIÇÃO: O CORAÇÃO DO HOMEM É REVELADO NA ORAÇÃO SINCERA A DEUS.

SENTENÇA DE TRANSIÇÃO: O QUE SE REVELA NA SUA ORAÇÃO?

I)                   REVELA  INTEGRIDADE?

No versículo 5, do texto, percebemos numa exposição profunda que os anseios do coração do homem são revelados nas suas orações e atitudes. Cristo faz uma alusão bastante enfática da conduta hipócrita dos fariseus, que tinham o hábito de serem presunçosos e arrogantes no seu muito falar, usando sua posição de destaque, ficando em pé nas praças e sinagogas, buscando o reconhecimento daqueles que os assistem.
O contexto traz a palavra orar com o objetivo de pedir, rogar, suplicar. Ou seja, a oração deles não expressava visivelmente esse caráter cristão de humilhação. Alguém que suplica não ostenta arrogância, visto que está ali pedindo algo.

Aplicação: Como cristãos devemos entender que sempre que quisermos falar com Deus carecemos entender a nossa condição de miseráveis pecadores, ainda que remidos, mas réus confessos pelo pecado que nos afasta diariamente da presença de Deus e que apenas em humilhação nos reconciliamos com o Pai através da oração, e essa não pode ser fingida.

II) REVELA INTIMIDADE?

      No versículo 6 e 7, vemos Cristo nos deixando um padrão de busca pela intimidade com o Pai, e esta é adquirida em oração e adoração individual e na maioria das vezes em secreto, quando somos intimamente tocados pela onipresença de Deus em sua imanência comunicada a nós, através do Espírito Santo que em nós agora habita. Naquele contexto, as luzes apagadas e o silêncio apresentavam-se opostas a cultura grega romana que ensinava o culto à aparência e eloqüência da exegese e suas falácias. Cristo nos ensina que nossa oração deve revelar nossa individualidade, nosso coração, nossa essência de adorador que conhece sua posição de servo, não usando de vãs repetições, rezas, palavras soltas ao vento, mas racionais, inteligentes, pessoais e sinceras.


II)                 REVELA SUA NECESSIDADE?

Neste versículo vemos a necessidade da oração que agrada a Deus, aquela que demonstra o desejo, o anseio, o objetivo da oração, a integridade e a intimidade daquele que ora com sinceridade. Que reconhece o que precisa e conhece quem pode lhe assistir nas suas fraquezas. Nosso Deus de fato sabe do que necessitamos, contudo nosso reconhecimento é necessário para revelar seu Senhoril nas nossas vidas e também para crescermos em intimidade e amor para com Ele.


CONCLUSÃO: O homem carece de integridade. Ser íntegro é ser você mesmo quando ninguém está por perto. E Cristo nos deixou esse exemplo maior de submissão irrestrita ao Pai, que mesmo sendo Deus, não teve por usurpação o Ser igual a Deus, mas antes se humilhou vindo ao mundo na condição de servo. O homem também precisa ter intimidade com Deus para ser adorador verdadeiro, conhecer e ser conhecido. Portanto, busquemos a oração como o aperfeiçoamento da nossa santidade em Cristo, como atributo da nossa necessidade diária.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Diga não a Violência doméstica




Esse é um tema bastante atual nos últimos meses, todos os dias vemos mulheres sendo ameaçadas de morte, sofrendo maustratos, espancamentos, agressões físicas e emocionais, de homens que deveriam protegê-las, amaá-las, cuida-las, tratá-las como mulheres que são.
É complicado entender como tudo acontece...
Por que no inicio ninguém consegue detectar o agressor, porque ele sorrí para vc, lhe dá presentes, lhe beija, lhe faz juras de amor, lhe admira, lhe possui, lhe conquista, mas ao passar dos anos, tudo começa a mudar, é uma palavra depreciativa aqui, um palavrão ali, um empurrão, uma noite solitária chorando em casa, enquanto ele está no bar enchendo a cara com os amigos, quando chega quebra o banheiro, a televisão e tudo mais que está a frente, vc como um bicho acuado finge não ver, e ele como um animal sujo enlameia seus lençóis, não sei que tipo de relação é essa, só sei que ela tem vitimado muitas mulheres, que não conseguem se livrar dessas pestes de maridos.
Fico pensando se esse homem, realmente é homem, pois alguém que perde horas num bar com outros homens, ou numa boca de fumo, gastando dinheiro, ficando fedido, bebado, alucinado, agressivo, desfigurado e irracional, pode ser chamado de Homem realmente.
Num contexto como esse, estão inserida várias mulheres, queperdem anos de suas vidas, se dedicando a pessoas que não se dedicam a elas, que não constrõem um lar, que as espanca, e molesta quando não fisicamente, mas moralmente seus filhos, quando os utensílios da casa e lhes causa dor, espanto e vergonha.
Essa infelizmente é a realidade de várias brasileiras, e só este ano na Paraíba já foram vitimadas mais de 30 mulheres, que oficialmente foram agredidas e mortas pelos seus companheiros, e essa é uma realidade que atinge mulheres de todas as classes sociais, cores e níveis.
Não sei como podemos ajudá-las, só sei que é uma lamentável realidade, em que toda a sociedade deve se mobilizar para ao menos tentar coibir toda essa onda de violencia contra a mulher. Se você sabe de algum caso, denuncie, encoraje essa mulher a mudar de atitude, exerça sua cidadania e ofereça-lhe se preciso for até abrigo, mas não esteja inerte a tal situação.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Nando Reis - Pra Você Guardei o Amor

Essa música reflete a história de alguém que eu amei sem merecer todo esse amor

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Jamais desça do salto...

Andar de salto alto é algo interessantíssimo, pois não apenas remete ao compasso elegante de alguém que sabe se impor, se colocar, se sobrepor, desfilar, seduzir, entreter, mas também, quando encarado de forma sútil, passa a ser um estilo de vida simples e perspicaz. Mulheres que não se descompõem sobre hipótese alguma e jamais descem do salto, nas mais distintas situações, tendem a serem mais eficientes em relacionamentos dificeis e conturbados... Como veremos a seguir, a  história nos remete as dificuldades e adaptações desses novos tempos, onde as mulheres caminham desde os cabarés as mais sacras igrejas, desfilando os vários estilos de saltos e sapatos.
A origem dos sapatos e sandálias de salto alto se perde em séculos de história. Os primeiros modelos de saltos altos foram encontrados em uma tumba do Antigo Egito e datam do ano 1000 aC. Esses saltos, provavelmente, caracterizavam a alta posição social de quem os utilizava.


                                                         Primeiro Modelo do Salto Alto

O gosto por saltos altos predominou também na Grécia Antiga. Ésquilo, o primeiro grande autor trágico da história grega, fazia os atores de suas peças usarem sapatos plataformas de diferentes alturas para, assim, indicar a posição social de cada personagem. A mesma idéia existiu no Oriente. Por exemplo, no Japão o imperador Hirohito foi coroado, em 1926, calçando sapatos com plataforma de 30 cm de altura.

                                                              A evolução do Salto Alto

Mas a história também revela que saltos altos estão associados à sexualidade. As cortesãs japonesas usavam tamancos com alturas entre 15 e 30 cm. Já as concubinas chinesas e as odaliscas turcas eram obrigadas a usar sandálias altas provavelmente para impedir que fugissem dos haréns. Na Antiga Roma, as prostitutas eram identificadas pelos saltos que usavam.

Na Época Moderna, a moda européia dos saltos altos teve início com os “chopines” italianos, sandálias com plataformas de altura variando entre 15 e 42 cm. Algumas chegavam a alcançar 75 cm e as mulheres que os calçavam tinham que se apoiar em bengalas ou bastões para conseguir equilíbrio ao andar. Em 1430 os chopines foram proibidos em Veneza, mas como se sabe, nada pode impedir uma tendência da moda.


A história atribui a invenção dos saltos altos a Catarina de Médici, no século XVI. Devido a sua baixa estatura, ela os utilizou quando se casou com Henrique II, da França. Ao chegar a Paris ela trazia em sua bagagem uma série de sapatos com saltos produzidos por um artesão italiano para deixá-la mais alta. E, assim, acabou por introduzir a moda dos saltos altos na história da aristocracia européia.

No século XVII, o parlamento inglês punia como feiticeiras todas as mulheres que usassem sapatos de salto alto para seduzir ou atrair homens ao casamento. E por falar em sedução, Giovanni Casanova, em sua biografia, declarou seu amor pelos saltos altos que, segundo ele, levantavam as armações das saias-balão, usadas à época, desta forma mostrando as pernas femininas.
No século XIX, os saltos altos foram introduzidos nos Estados Unidos importados diretamente dos bordéis de Paris. O sucesso dos saltos altos na capital francesa era enorme, pois a maioria dos clientes preferia contratar os serviços de prostitutas que usavam saltos.


Os designers de sapatos não existiam como tais antes do século XX. A criação de sapatos de salto alto era mais uma atividade, dentre muitas, dos modestos sapateiros. A indústria de produção em massa de calçados teve início nos Estados Unidos, onde começou como uma atividade familiar exclusiva de colonos do leste do país (a Nova Inglaterra) e acabou se tornando as primeiras grandes lojas por volta da metade do século XVIII.

Em 1900, ainda havia resquícios de preconceito do século anterior. Muitas pessoas consideravam indecentes mulheres que mostrassem suas extremidades desnudas. Por isso, o conforto prevaleceu em detrimento do estilo, que ficava relegado à privacidade doméstica. Em público, botas e botinas apertadas e abotoadas prevaleciam. A história mudou após a Primeira Guerra Mundial. Com o desenvolvimento da economia, os calçados de tiras entraram em cena: pontudos e com saltos altos modelo Louis. Havia uma verdadeira profusão de cores e os saltos eram até mesmo utilizados para dançar.


                                                          Mulheres da Década de 30

Mas os anos 30 trouxeram a Grande Depressão e isto teve repercussões na moda. Os saltos se tornaram mais baixos e mais largos. Nessa época muitas mulheres condenavam os saltos altos, mas foi a partir da Segunda Guerra Mundial que os saltos passaram por uma fase de verdadeiro desprezo devido ao racionamento do couro. Mas o designer italiano Salvatore Ferragamo encontrou a solução ao desenvolver um modelo de calçado com salto anabela em cortiça. Após a guerra esse modelo tornou-se moda, quando muitos estilistas passaram a copiá-lo.
 
Enquanto os franceses, de fato, não tinham competidores à altura no que diz respeito a moda de vestuário, os italianos, por sua vez, eram os mestres da produção em massa da moda calçadista. Graças aos contatos de Ferragamo em Hollywood, esses calçados italianos se tornaram muito populares entre as estrelas hollywoodianas nos anos 50 (Jane Mansfield tinha mais de 200 pares). O salto stiletto era, então, sinônimo de “sex appeal”. Enquanto isso, os médicos responsabilizavam os sapatos de salto alto por todos os tipos de problemas. E não só quanto à saúde da mulher. Muitos atribuíam o crescimento da delinqüência juvenil aos saltos altos.


                                                        Décadas de 50 e 60 - Sex Appeal

Nos anos 60, teve início a transferência da moda de Paris para Londres e a moda das ruas ditava o que era para ser usado. Com o preço do couro em alta, os materiais sintéticos entraram em cena. Vivier, Herbert Levine e Miller foram os pioneiros na história da utilização de material plástico transparente.


                                                                    Década de 70

No início dos anos 70 as plataformas retornaram por um breve período na história, especialmente aquelas botas extravagantes de cano alto. Muitas destas botas tinham designs psicodélicos. Era o estilo andrógino do “Glam Rock”. Foi o designer Terry de Havilland quem as popularizou e encontrou adeptos não apenas entre as mulheres, mas também entre gays e lésbicas.

Nos anos 80, mulheres executivas passaram a adotar o salto stiletto como um complemento aos seus vestuários para projetarem uma imagem de eficiência e de Manolo Blahnikautoridade. Os saltos altos simbolizavam glamour e extravagância, além de um modo de expressar feminilidade nunca antes vista na história dos saltos altos.

Na última década do século XX, as plataformas reapareceram pelas mãos de Vivienne Westwood e Jean-Paul Gaultier. Nos anos 90, conceitos antigos foram reciclados. Assim como os estilistas de moda, os estilistas de calçados femininos passaram a ser estrelas do mundo fashion, com Manolo Blahnik sendo, então, o seu maior expoente. Como na década anterior, o nome de marca era a coisa mais importante. Ao lado, uma sandália de Blahnik.

Atualmente, existe uma nova geração de designers. Requisitados por clientes e por estilistas de moda, os sapatos de salto alto de designers como Joan Halpern, Maud Frizon, Beth e Herbert Levine, Andrea Pfister, Louboutin salto altoJan Jansen, Patrick Cox e Christian Louboutin algum dia serão apreciados como autênticas obras de arte. A tecnologia tem acrescentado novas opções de materiais (microfibras, tecidos elásticos etc) o que otimiza o processo de produção, que parece indicar que os sapatos e sandálias de salto alto continuarão a fazer muito sucesso na história da moda. Ao lado, uma sandália Louboutin com salto alto com solado em vermelho, marca inconfundível das obras de arte deste excepcional designer.
Num curto espaço de tempo vale repensar nossa postura e nosso bom senso na escolha da cor, do salto, da performance, do material e estilo a compor nosso visual... que vai desde ao visível, que são as coisas que usamos habitualmente, até o invisível, que é nosso caráter, personalidade e a marca das nosssas impressões, que ficam por onde passamos.


Busque usar o sapato certo na ocasião certa... para não precisar descer do salto e parecer deselegante em alguma situação, por mais desastrosa que seja, não vale a pena, tente se equilibrar sobre o salto que você escolheu usar nesse dia de sol ou de chuva que você está vivendo hoje e caminhe com leveza, pois o último passo é sempre o que marca a vitória e a conquista.
E assim, como na moda você perceberá que a vida é bastante colorida, difusa, incerta, perspicaz, surpreendente e circular... e que o retrô por exemplo, nunca cairá de moda, sempre voltará... portanto conserve aquilo que pode ser reutilizado numa próxima e mais propícia estação.





Ocorreu um erro neste gadget

Dicas...

Dicas

Ás vezes precisamos de algumas orientações simples e básicas, e que costumeiramente não encontramos com facilidade, contudo quando nos dispomos a procurar o que precisamos, sempre encontramos ao nosso alcance, algumas dicas que nos salvariam de problemas futuros, como por exemplo, evitar fazer algumas misturas de tecidos, estampas, e estilos num mesmo look no dia à dia, ou num dia de festa. Que por mais que vc ouse usar, pode até impressionar num primeiro momento, contudo pode vir a chocar, ou escandalizar alguém, pelo excesso ou abuso, de alguma tendencia que não combina com seu estilo ou visual, portanto defina bem sua identidade através do que vc usa e assim vc também atrairá pessoas que como vc se identificam em alguns aspectos, e assim juntos vcs podem desfrutar do que lhes é comum. Use o espelho, e ouça a opinião de alguém que sabe mais do que vcê naquele assunto.
A palavra é sutileza no vestir-se, espiritualmente e fisicamente tb!

Psalm for the Day

Minha vida cabe nas malas que carrego...

Minha vida cabe nas malas que carrego...

A beleza da mulher


A beleza da mulher ou do homem se revela na essência e não na transparência do vestir-se, ou na profundidade dos decotes, ou na compressão dos jeans com strech, ou nas regatas, bermudas, ou naquilo que deveria apenas adornar para realçar o que de fato ela tem na íntegra, algo que vai além do que é visivel e paupável.
O olhar com singeleza e transparência, a boca com doçura e sem leviandade, o aroma que satisfaz e exala o bom perfume de Cristo, as mãos que seguram e sustentam-se na destra fiel do Pai da eternidade, os pés que caminham rumo ao alvo, e a consciência pura e apologética de que precisamos remir nosso tempo pois de fato, os dias são maus.
Busco insistentemente melhorar àquilo que precisa ser retocado no meu eu, não apenas na minha aparência, mas principalmente naquilo que é transparente e que compõe minha essência de uma mulher que ousa andar segundo a vontade de Deus!

Eu curto Vintage

Eu curto Vintage

Cotidiano é diferente de rotina...

Aprendí com os filósofos que rotina é diferente de cotidiano, sou alguém que foge das inutilidades superficiais dos falatórios alheios, e "hoje" em alguns momentos até ignoro algumas situações, para evitar o confronto ou constrangimento desnecessário... para não perder o bom senso... mas isso é muito difícil, é um objetivo diário...

SOU ALGUÉM EM CONSTRUÇAO, que se permite errar e consertar, falhar e pedir perdão sem titubear, e "hoje" entendo claramente que perdão é atitude e não sentimento!!!!

O Senhor vê além do óbvio e visível!!

O Senhor vê além do óbvio e visível!!

Feliz natal em família

Feliz natal em família

Teus olhos estão sobre mim Senhor

Teus olhos estão sobre mim Senhor

Família na praia...

Família na praia...

Meu amor!!

Meu amor!!

Amigas especias!!!!

Amigas especias!!!!

Ministrando aula sobre Platão

Ministrando aula sobre Platão
Tb é uma paixão!!!

Tb amooooOOO

Tb amooooOOO

Com a galera...

Com a galera...

Amigos

Amigos

AmoooOOO vcssss

AmoooOOO vcssss

Missões é uma prática diária...

Missões é uma prática diária...
Não um clichê!!!

Noite especial

Noite especial

Depois cinema básico com a galera!!!

Depois cinema básico com a galera!!!

A Banda

A Banda
Que me ensinou a olhar para os malucos sedentos da Palavra!!!

Mãe, sobrinha, irmã e pai

Mãe, sobrinha, irmã e pai

Programa Oficina de Deus

Programa Oficina de Deus

Quero ser como criança

Quero ser como criança
Para me deliciar com coisas tão simples e baratinhas + tão saborosas!!

Mardunas - Natal

Mardunas - Natal
Acampamento Bola de Neve Church

Isa, eu e Rafinha

Isa, eu e Rafinha

Deus tem seus planos!!!!!!!!

Deus tem seus planos!!!!!!!!

Abra sua mente para ver a grandeza

Abra sua mente para ver a grandeza
A excelência da Palavra de Deus